Professores da UFPI encerram greve e retornam às aulas na próxima semana - Brasil
Sábado, 13 de julho de 2024, 22:28
Brasil

Professores da UFPI encerram greve e retornam às aulas na próxima semana

A greve foi parte de uma paralisação nacional dos docentes das universidades federais, iniciada em abril deste ano.

No final da tarde desta quinta-feira (27), os professores da Universidade Federal do Piauí (UFPI) decidiram encerrar a greve, após assembleias realizadas nos campi de Teresina, Picos, Floriano e Bom Jesus. A decisão marca o fim de um movimento iniciado em 28 de maio. As datas de retorno das atividades em cada campus serão:

  • Teresina: 3 de julho;
  • Picos: 3 de julho;
  • Floriano: 1 de julho;
  • Bom Jesus: 1 de julho.

A greve foi parte de uma paralisação nacional dos docentes das universidades federais, iniciada em abril deste ano, em resposta à proposta de reajuste salarial apresentada pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A greve nacional foi encerrada após a maioria das assembleias estaduais votarem a favor da proposta do governo. O Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN) indicou que a paralisação será finalizada até 3 de julho, com o acordo oficial sendo assinado junto ao Ministério da Gestão e Inovação no dia 26 de junho.

Escolástica Santos, presidente da Associação de Docentes da UFPI (Adufpi), comentou que, embora as negociações para o reajuste de 2024 não tenham avançado, foram conseguidos reajustes de 9% para 2025 e 3,5% para 2026. "Considerando que a proposta inicial era 3,5% e 3,5%, conseguimos avançar, sim, no reajuste de 2026. Lembrando que a nossa perda salarial chega a 40% e que estávamos pedindo 21%. Mas, foi o que conseguimos nesse movimento", disse Escolástica.

Ela também destacou outros avanços nas negociações, incluindo a revogação de algumas resoluções, a recomposição do orçamento e melhorias na carreira dos docentes, inclusive para aposentados. "Nós avançamos também em outras pautas como a revogação de algumas resoluções, na recomposição do orçamento, na carreira, inclusive para aposentados, como o reenquadramento na carreira e a entrada lateral, que é quando um professor já está na carreira, mas resolve fazer um novo concurso, então ele não começa do zero. Por isso que a categoria, em sua maioria, entendeu que deveria retornar agora e que a negociação já tinha chegado no seu ponto máximo, já tinha se esgotado", afirmou.

Leia Também

Dê sua opinião: