Laudo médico contradiz polícia e confirma que músico foi baleado na cabeça - Piauí
Segunda, 24 de junho de 2024, 16:03
Piauí

Laudo médico contradiz polícia e confirma que músico foi baleado na cabeça

O diretor do IML, Dr. Antônio Nunes, afirmou que não foi encontrado nenhum ferimento provocado por arma de fogo.

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) confirmou na segunda-feira (3) que o músico Carlos Henrique de Araújo Rocha, falecido na última quinta-feira (30), foi baleado. De acordo com a equipe do Samu, que prestou o primeiro socorro, Carlos sofreu uma perfuração de arma de fogo na cabeça.

  

Carlos Henrique, baixista de Júnior Masca. Foto: Reprodução

   

Entenda

Na madrugada de quinta-feira (30), Carlos Henrique estava voltando de um evento quando o carro em que ele estava foi atingido por um veículo SW4. A colisão aconteceu no cruzamento da Av. Dom Severino com a Av. Presidente Kennedy, na zona Leste de Teresina. O veículo SW4 estava sendo conduzido por criminosos que estavam em perseguição com a Polícia Militar.

Após o acidente, houve uma troca de tiros entre a polícia e os bandidos. Inicialmente, foi informado que Carlos teria saído do carro e sido atingido por um disparo de arma de fogo, o que teria causado sua morte. Porém, o Diretor do Instituto Médico Legal (IML), Dr. Antonio Nunes, afirmou que "no corpo da vítima não foi encontrado nenhum ferimento provocado por arma de fogo, zero perfuração."

Causa da morte

Segundo o diretor, Carlos Henrique morreu devido a politraumatismo e lesões causadas pelo impacto da colisão. O pai de Carlos, Carlos Batista, contestou essa versão e questionou a veracidade dos fatos apresentados pelas autoridades. "Estas informações que eu recebi estão todas erradas, tudo ao contrário. Cheguei lá e meu filho estava morto dentro do carro, com um tiro à queima-roupa. Meu filho foi morto com um tiro à queima-roupa dentro do carro e depois tirado e jogado para fora como um cachorro. Agora, quem matou meu filho? Por quê?", disse ele.

Nota do Hospital

"O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) vem a público esclarecer os fatos relacionados ao atendimento prestado ao paciente Carlos Henrique de Araújo Rocha, músico que deu entrada no hospital na madrugada de 30 de maio e que veio a óbito poucas horas depois.

Carlos Henrique deu entrada no HUT por volta das 03h da manhã, via Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Ao chegar, ele foi prontamente recebido na sala de Trauma devido à gravidade de sua condição. Segundo a equipe do Samu que prestou o socorro inicial, o paciente havia sofrido uma perfuração de arma de fogo na região da cabeça.

Com base nessas informações, a equipe médica do HUT iniciou imediatamente o atendimento e os procedimentos necessários para a estabilização do paciente. Dada a gravidade do caso, foram solicitados exames de imagem, incluindo uma tomografia do crânio, com o intuito de determinar a melhor conduta médica para o seu tratamento.

Para a realização dos exames com segurança, é necessário que o paciente esteja em condição estável. Apesar dos esforços incansáveis da equipe médica, o paciente Carlos Henrique de Araújo Rocha veio a óbito antes de ser estabilizado.

O Hospital de Urgência de Teresina expressa suas mais profundas condolências à família e amigos do músico Carlos Henrique de Araújo Rocha neste momento de dor e reafirma o compromisso de prestar o melhor atendimento possível a todos os seus pacientes, sempre com o objetivo de salvar vidas e minimizar o sofrimento."

Leia Também

Dê sua opinião: