Piauí é o segundo estado do nordeste em número de mortes por dengue em 2024 - Piauí
Terça, 16 de julho de 2024, 01:10
Piauí

Piauí é o segundo estado do nordeste em número de mortes por dengue em 2024

Até esta quinta-feira (27), foram registradas 19 mortes, um crescimento de quase 400% em relação ao longo de todo o ano de 2023.

Os números de casos de dengue no estado do Piauí em 2024 têm sido alarmantes. Segundo dados recentes da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), os óbitos relacionados à doença neste ano refletem um aumento dramático em comparação ao ano anterior. Até esta quinta-feira (27), foram registradas 19 mortes, um crescimento quase de 400% em relação às 4 mortes contabilizadas ao longo de todo o ano de 2023.

 

  

Conforme a SESAPI, há uma duplicidade de óbito no painel epidemiológico, totalizando 19 mortes pela doença, não 20 como inicialmente divulgado. Foto: Reprodução

   

O Piauí é o segundo estado do Nordeste com o maior número de mortes por dengue em 2024, perdendo apenas para a Bahia. A cidade mais afetada é Bom Jesus, no sul do estado, com sete óbitos confirmados.

 

  

Ranking de mortes por dengue em 2024 Foto: Reprodução

   

Segundo informações do painel da Sesapi, o estado tem seis mortes relacionadas a doença sobre investigação. Até o momento, foram registrados 12.968 casos prováveis da doença, com 55,1% dos pacientes do sexo feminino e 44,9% do sexo masculino.

Em relação à letalidade em casos prováveis, definidos pela presença de sintomas característicos da dengue e pela suspeita médica, mas que ainda podem incluir casos não confirmados laboratorialmente, o estado do Piauí apresenta uma taxa de 0,15%, posicionando-se como o segundo estado com maior índice, o que é preocupante. Apenas Sergipe, com 0,17%, registra uma taxa mais alta. 

  

Letalidade em Casos Prováveis. Foto: Reprodução

   

Quando se trata de letalidade geral, a situação do Piauí também é significativa, ocupando o terceiro lugar com 4,51%, ficando atrás de Sergipe, com 8,51%, e Paraíba, com 5,41%.

  

Letalidade em Casos Graves. Foto: Reprodução

   

De acordo com dados do Fundo Nacional de Saúde, o Ministério da Saúde já empenhou R$ 5,7 bilhões para o gasto em 2024. Conforme publicado pelo jornal 'O Globo', o Piauí é a segunda unidade da federação que mais recebe recursos da Saúde, com mais de R$ 258 milhões destinados ao estado, o que equivale a R$ 78 por habitante.


  

Dados FNS. Foto: Reprodução

   

O supervisor de entomologia da Sesapi, Ocimar Alencar, conversou com o Central Piauí, e afirmou que, devido ao baixo número de casos em 2023 em relação a 2024, qualquer comparação reflete um aumento.


  

Supervisor de entomologia da Sesapi, Ocimar Alencar. Foto: Reprodução

   

“Esse aumento é expressivo porque no ano passado tivemos uma situação bem tranquila de casos de dengue. Só para você ter uma ideia, no ano inteiro tivemos um pouco mais de 7.000 casos de dengue. Então, por conta dessa situação bem tranquila do ano passado, este ano tivemos um pouco mais e qualquer comparação que façamos reflete um aumento”, explicou Ocimar.

O técnico da Sesapi destacou que o pico de casos prováveis ocorreu na 11ª semana epidemiológica de 2024, com 905 casos registrados. Desde então, houve uma redução gradual desses números, com aproximadamente 60 casos notificados na semana 24.

“Vale lembrar que se a gente observa os casos dentro do próprio ano de 2024, a semana epidemiológica de número 11, que foi a segunda semana do mês de março, foi a semana do pico de casos. 905 casos prováveis de dengue. Desde a semana 12, vem reduzindo esse número de casos. Semana a semana vem caindo o número de casos. De forma que agora na semana de número 24, a gente tem um pouco, no estado inteiro, tem um pouco mais de 60 casos notificados prováveis”, concluiu Ocimar Alencar.

Diante desse cenário, a Secretaria de Saúde do Piauí intensificou as ações de monitoramento e apoio técnico para o controle da dengue. Medidas como a liberação do carro fumacê para municípios em alerta e o reforço na orientação à população sobre a limpeza dos ambientes domésticos e eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti são fundamentais para conter a proliferação da doença.

Em nota, a Sesapi reforçou à comunidade para que se engaje na prevenção, visando reduzir os casos e proteger a saúde pública no estado.

Nota da Secretaria de Saúde do Piauí

"A Secretaria de Saúde do Piauí (SESAPI) reforçou as ações de monitoramento e apoio técnico para o controle da dengue no estado. Entre as medidas implementadas, destaca-se a liberação do carro fumacê para os municípios que registraram um aumento na incidência da doença e se encontram em situação de alerta. A SESAPI orienta a população a manter a limpeza dos ambientes domésticos e a evitar o acúmulo de água parada, medidas essenciais para a prevenção da proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. A colaboração de todos é fundamental para vencer essa batalha.

Cuidados: O uso de repelentes reduz as chances de picadas do Aedes aegypti, mas não afeta a infestação de mosquitos. Portanto, é mais eficaz eliminar os criadouros do inseto e reforçar a proteção individual.

Leia Também

Dê sua opinião: