Entenda a vida da blogueira do PCC, suspeita de esquartejar rival em Teresina - Polícia
Sábado, 13 de julho de 2024, 21:34
Polícia

Entenda a vida da blogueira do PCC, suspeita de esquartejar rival em Teresina

A influencer exibia sua vida de "ostentação" e aventuras nas redes sociais, onde exibia o corpo e suas paixões por motocicletas.

A blogueira Maria Clara Sousa Nunes Bezerra, conhecida nas redes sociais como Clarynha Sousah, de 25 anos, foi presa na manhã desta segunda-feira (8), acusada de arquitetar e executar o esquartejamento de Silvana Rodrigues de Sousa na zona Sudeste de Teresina. A influencer exibia sua vida de "ostentação" e aventuras nas redes sociais, onde exibia o corpo e suas paixões por motocicletas, Maria Clara está agora sob custódia da polícia.

  

Blogueira presa em Teresina. Foto: Reprodução.

   

Maria Clara é mãe de uma criança de três anos e mantinha uma vida de ostentação tranquila nas redes sociais, mostrando seu corpo e seu gosto por andar de motocicleta em alta velocidade.

De acordo com informações da Polícia Civil, Maria Clara foi detida na casa de sua mãe, localizada na mesma região onde o corpo da vítima foi encontrado. A suspeita é membro da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) e atuava como disciplina dentro da organização.

No dia 26 de junho, o corpo de Silvana Rodrigues de Sousa foi descoberto enterrado em um matagal na Vila da Guia. A perícia identificou que a vítima foi assassinada em uma casa abandonada na mesma região e depois esquartejada. O corpo foi colocado em dois sacos de estopa e enterrado em covas de cerca de um metro de profundidade, cobertas para esconder os vestígios.

As investigações indicam que Maria Clara estava com a vítima já morta antes do esquartejamento. A polícia acredita que o crime foi motivado por uma rixa entre facções, com a suspeita de que Silvana atuava como infiltrada de uma facção rival na área. A perícia revelou que a vítima foi enforcada e, em seguida, esquartejada. O corpo foi colocado em sacolas e enterrado em covas rasas, um método que demonstra a tentativa de ocultar o cadáver e a demonstração do poder da facção criminosa.

Leia Também

Dê sua opinião: