Oposição denuncia assédio de pré-candidatos e abuso de poder na campanha de Fábio Novo - Política
Segunda, 24 de junho de 2024, 17:51
Política

Oposição denuncia assédio de pré-candidatos e abuso de poder na campanha de Fábio Novo

Os vereadores Ismael Silva (PP), Aluísio Sampaio (PP) e Paulo Lopes (União Brasil) estavam presentes na coletiva.

Na manhã desta sexta-feira (31), uma coletiva de imprensa foi convocada pela frente ampla formada pelos partidos Progressistas, União Brasil e Republicanos para denunciar assédio de pré-candidatos ligados à base do pré-candidato Fábio Novo (PT) a diversos pré-candidatos da oposição. Durante a coletiva, a advogada da frente ampla, Ivilla Araújo, anunciou duas medidas iniciais: uma representação na Justiça Eleitoral contra o presidente do Agir, Gustavo Henrique, e outros correligionários ligados a Fábio Novo, por suposto abuso de poder econômico, abuso de poder político e quebra de isonomia; e uma solicitação ao Ministério Público do Estado do Piauí (MP-PI) para instaurar uma Notícia de Fato, visando que o órgão ministerial apure a possível ocorrência de crime.

  
Oposição vai denunciar pré-campanha de Fábio Novo na Justiça Eleitoral. Foto: reprodução
 
 
 

Segundo Ivilla Araújo, diversos pré-candidatos a vereador dos três partidos de oposição foram assediados. “Eu venho aqui representando a frente ampla dos partidos. Em virtude dos fatos que ocorreram nos últimos dias, de amplo assédio econômico-financeiro aos nossos pré-candidatos, e após análise de todas as provas grandes e robustas referentes a esse assédio, resolvemos representar junto à Justiça Eleitoral por abuso de poder político e abuso de poder econômico. Também faremos uma Notícia de Fato para que o Ministério Público Eleitoral realize uma apuração da existência de crime, seja por parte de quem está oferecendo, seja por parte de quem está se propondo a receber qualquer tipo de recompensa financeira por apoio, neste momento de pré-campanha”, iniciou a advogada.

Ivilla Araújo destacou que as propostas financeiras oferecidas eram de "magnitudes nunca antes vistas" no ambiente político local. "Há abuso de poder econômico com a atribuição de convites para participar de outro grupo político através do oferecimento de propostas financeiras altas e, diga-se de passagem, propostas financeiras bem robustas e de magnitudes nunca vistas antes neste ambiente político", alertou.

A advogada deixou claro que a ação não se relaciona às obras do OPA (Obras Prioritárias de Aceleração), amplamente divulgadas pela base do Palácio de Karnak e pelo pré-candidato Fábio Novo. “Não temos como foco neste momento ou em momento algum o OPA. Na verdade, o OPA é um serviço público prestado em que concordamos, é passível de todos. O objetivo da gente nunca foi o OPA, na verdade, é coibir o abuso no uso da máquina pública ou no uso do poderio econômico”, explicou Ivilla.

Os vereadores Ismael Silva (PP), Aluísio Sampaio (PP) e Paulo Lopes (União Brasil) também estavam presentes na coletiva e afirmaram que nunca receberam propostas do tipo. Ismael Silva reafirmou o teor da denúncia, destacando a orientação para expor qualquer tipo de assédio. “Todos os nossos pré-candidatos a vereador, seja do União Brasil, Republicanos ou Progressistas, estão alinhados e orientados no mesmo sentido. Sempre que recebermos esse tipo de assédio, vamos torná-lo público por meio de gravações, exposição dos fatos e denúncias. A nossa assessoria jurídica dessa frente adotará todas as providências necessárias, seja no período de pré-campanha, seja no período de campanha”, afirmou Ismael.

Durante a coletiva, foi divulgado um áudio onde Gustavo Henrique, presidente do Agir e aliado de Fábio Novo, tenta cooptar Chico Pança, um pré-candidato a vereador da chapa do União Brasil. Na gravação, Gustavo oferece vantagens financeiras e promete integração à gestão do PT, caso Novo seja eleito. “Mesmo depois de tantos áudios, vídeos e relatos de propostas intermediadas por pessoas ligadas, inclusive, como pré-candidatos a vereador pelo grupo do PT, infelizmente, no dia seguinte, o pré-candidato a governador concedeu entrevista ao lado das pessoas envolvidas em todos esses escândalos, o que nos faz acreditar que todos estão cientes dessa proposta e que essa não é uma estratégia política de uma pessoa do grupo, mas sim, de todo esse grupo que hoje tenta dominar o município de Teresina”, lamentou Ismael Silva.

A frente ampla assegura que seus pré-candidatos a vereador e o pré-candidato a prefeito, doutor Sílvio Mendes, seguirão firmes em suas candidaturas, resistindo a qualquer proposta que vise desestabilizar o grupo oposicionista.

Leia Também

Dê sua opinião: